ricardo-reis-detalhe

Empresa: London School of Economics (LSE) 

País: Inglaterra

Área: Ciência

Ricardo Reis é professor no departamento de economia da London School of Economics onde ocupa a cátedra A. W. Phillips in Macroeconomics.

Licenciado pela London School of Economics em 1999, completou o seu doutoramento na Universidade de Harvard em 2004. Nesse mesmo ano tornou-se professor auxiliar na Universidade de Princeton em Nova Jérsia nos Estados Unidos. Em 2008 foi contratado para professor catedrático na Universidade de Columbia em Nova Iorque, um dos mais novos a alcançar este grau na história da universidade e a “saltar” mais de dez anos no que é o percurso normal de um professor universitário nos Estados Unidos. Ricardo Reis surge frequentemente no topo das listas de economistas no mundo inteiro com menos de 40 anos que tenham o maior número de citações ao seu trabalho académico.

Ricardo Reis é investigador associado do National Bureau of Economic Research (Cambridge, Massachusetts), do Centro de Pesquisa de Política Económica (Londres) e do Centre for Macroeconomics (Londres). É editor do Journal of Monetary Economics, a principal revista científica em macroeconomia. É também membro do Conselho dos Editores do Journal of Economic Literature e editor associado do Economic Journal. Desempenha funções como consultor académico nos Banco de Inglaterrra, Banco Central Europeu e Federal Reserve Bank de Richmond. Escreve ainda uma coluna semanal sobre economia para um jornal de grande circulação, e contribui frequentemente para a discussão de políticas e para o debate público em Portugal.

A sua principal área de investigação é a macroeconomia. No seu trabalho mais recente, ele tem estudado as políticas de quantitative easing e o balanço dos bancos centrais, o papel dos estabilizadores automáticos na política fiscal e no ciclo económico, e o comportamento da inflação. No passado, ele incidiu a sua investigação na formulação de teorias de desatenção, modelos de difusão da informação, construção de índices de preços, medição da inflação, e no estudo da política monetária e fiscal. O seu trabalho mais aplicado às políticas públicas consiste no desenvolvimento dos conceitos do “ciclo diabólico” entre bancos e soberanos e da “fuga para a segurança trans-fronteiriça” na crise da zona euro, e na proposta de emissão de ESBies como solução. Nos últimos anos, escreveu extensivamente sobre a economia portuguesa na crise da zona euro, tendo proposto como explicação a má afectação de capital.

É membro do Conselho da Diáspora Portuguesa desde 2013.