O ECO promoveu uma conferência em Cascais sobre “Smart Cities & Smart Tourism”, duas tendências mundiais que também estão a atingir algumas cidades portuguesas.
No passado dia 13 de Julho, o jornal ECO em parceria com a Câmara Municipal de Cascais, promoveu uma Conferência sobre as cidades inteligentes e o seu impacto no turismo.
O desenvolvimento das cidades é um dos desafios mais relevantes que se coloca aos decisores políticos, num contexto de pressão demográfica, económica e social. A resposta, uma delas, passa pelas smart cities, pela introdução da tecnologia na gestão das cidades e na melhoria de vida dos cidadãos, dos que trabalham e dos que vivem, mas também dos estrangeiros que as visitam.
As cidades só podem ser inteligentes se existirem modelos de desenvolvimento sustentáveis, com escala e devidamente financiados. No âmbito das novas formas de turismo – também ele inteligente – suportado em novas formas de conhecer os destinos, através de experiências mais ricas, mais tecnológicas e imersivas, mais interactivas e diversificadas, as smart cities são uma oportunidade.
Cascais tem vindo a ser um exemplo e foi lá que o ECO organizou, a conferência “Smart Cities & Smart Tourism” onde se debateram desafios como:
– Como articular tecnologia, pessoas, infraestruturas e instituições para alcançar a inovação e sustentabilidade assegurando uma inclusão social?
– Como integrar o e-turismo com as novas cidades, mais smart?
– Será que temos a capacidade de trabalhar a big data de forma a otimizarmos os recursos urbanos?
– E a nível económico, haverá estrutura de mercado que promova o funcionamento de uma sharing economy?

Consulte as intervenções AQUI

Por ECO, Julho 2017