O Conselho da Diáspora Portuguesa (CDP) foi esta semana reconhecido como Organização Não-Governamental para o Desenvolvimento (ONGD), pelo Estado Português.

O CDP vê assim reconhecido pelo Estado Português o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido em favor das relações entre Portugal e África através da plataforma EurAfrican Forum, que irá realizar a sua terceira edição em 2020.

O Conselho da Diáspora e o EurAfrican Forum são importantes instrumentos de diplomacia e influência, declarou o Ministro dos Negócios Estrangeiros e Vice Presidente Honorário, Augusto Santos Silva:  “As autoridades portuguesas com competências na política externa já olham para a próxima edição do EurAfrican Forum como mais uma oportunidade de valorizar o relacionamento entre o nosso país e o conjunto do continente africano, de valorizar o papel que o nosso país tem como pivô da relação mais geral entre Europa e África”, referiu no último Encontro anual da Instituição.

Por seu lado, Filipe de Botton, Presidente da Direcção do CDP, declarou que “este reconhecimento é uma honra e um estímulo para continuarmos a trabalhar no aprofundamento das relações entre a Europa e África e nas oportunidades decorrentes de novas ligações entre as redes de diásporas dos dois continentes.” Acrescentou que “Portugal está a assumir um papel de liderança que tem vindo a ser reconhecido internacionalmente”.

O EurAfrican Forum é uma plataforma de ligação e discussão dos desafios comuns a Africa e Europa.

A próxima iniciativa do Conselho da Diáspora Portuguesa realiza-se a 20 de Dezembro, no Palácio da Cidadela, em Cascais, com o tema Pensar a economia no nosso Planeta.

O CDP é uma associação privada sem fins lucrativos, fundada em 2012, com o Alto Patrocínio da Presidência da República e do Ministério dos Negócios Estrangeiros. Para além do estatuto agora atribuído, em 2017 foi concedido  à Instituição a distinção de Utilidade Pública.

O CDP é uma rede de ligação entre portugueses e luso-descendentes, a World Portuguese Network, que integra 93 membros, espalhados por 26 países e 47 cidades em 5 continentes, com intervenção e influência nas áreas da Economia, Ciência, Cultura e Cidadania.

Por Conselho da Diáspora Portuguesa, Novembro de 2019

Related Articles