A artista residente nos EUA e Conselheira de Portugal no Mundo lança o livro “Porto-Paris-Nova Iorque”, que reflecte os seus 35 anos de carreira, e inaugura exposição, a 27 de Março, na Galeria Árvore, no Porto.

Em entrevista à RTP, Isabel Pavão-Horvath partilhou que a sua ida para Nova Iorque fez parte de um ciclo “em que já tinha as coisas muito estruturadas do ponto de vista artístico”, acrescentando que essa mudança a “ajudou a recriar e a reinventar, e tomar certos riscos que valeram a pena.”

Sobre o país de origem, com o qual tem “uma ligação muito forte”, a Conselheira da Diáspora afirma gostar “de voltar sempre a Portugal, de poder mostrar o meu trabalho lá e de manter as ligações”. “Todos nós que saímos de lá e que fizemos carreiras fora, somos de certa maneira embaixadores de Portugal”, conclui Isabel Pavão-Horvath.

Por Conselho da Diáspora Portuguesa, Fevereiro de 2020

Related Articles